Marketing Promo Digital

English EN Portuguese PT Spanish ES
Ficou em dúvida?

Perguntas mais frequentes e suas respostas

Definitivamente! Nem precisa procurar muito para encontrar centenas de empresas que se beneficiaram das redes sociais para se tornarem mais conhecidas e aumentar as suas vendas. Inclusive, não estar nas mídias sociais pode prejudicar o seu negócio, já que os consumidores esperam que as empresas tenham uma presença online.

O maior benefício, sem dúvidas, é abrir um canal de comunicação direta com os seus consumidores. Dessa maneira, eles podem enviar sugestões, solicitações e reclamações de uma maneira mais fácil para eles – e mais barata para você. Além disso, você humaniza a sua marca e pode promover os seus produtos e serviços diretamente para o seu público-alvo.

Depende muito do seu público-alvo. A maioria tem páginas no Facebook, que é utilizado como buscador por muitos usuários, mas a presença em outras redes sociais depende de quem você deseja atingir com suas postagens. Se o seu produto ou serviço é destinado para empresas, ter uma página no LinkedIn pode ser mais efetivo do que ter um perfil no Twitter. Mas se você conquista seus consumidores pelo lado visual, pode pensar em marcar presença no Instagram ou no Pinterest.

O número de fãs na sua página no Facebook, de seguidores no Instagram ou o número de likes são importantes, mas o que você deve mesmo levar em consideração é o número de visitas que seu site recebe através das redes sociais e quantos pedidos essas visitas rendem. As chamadas métricas de vaidade são importantes, mas a conversão é fundamental.

Sim! Um blog corporativo é importante por diversos motivos. O primeiro deles é que você pode compartilhar notícias e novidades do seu segmento de atuação e se posicionar como uma autoridade no assunto. Um blog também é importante por causa do SEO: com o conteúdo do blog você terá mais palavras-chave nos resultados das buscas e, consequentemente, mais visitas em seu site. Por último, o conteúdo do blog é excelente para compartilhamento nas redes sociais, gerando maior engajamento nos seus posts.

Os vídeos são cada vez mais populares entre os usuários. O YouTube, por exemplo, tem quatro bilhões de visualizações por dia! Esse é um número muito grande, e atrair uma parte dessa audiência para a sua empresa pode torná-la bastante conhecida entre os seus clientes em potencial. Produza conteúdo de qualidade, e você terá grandes resultados com o YouTube.

Isso depende de diversas variáveis. Depende de quantos posts você está compartilhando, qual seu orçamento para impulsionamento de posts, e da sua capacidade de criar conteúdo realmente envolvente. Lembre-se de que as mídias sociais precisam de esforço constante, e de que quanto mais você persistir, melhores resultados terá.

Funciona muito! Ao contrário das redes sociais, onde você torce para que o seu consumidor veja o post, com o email marketing você faz contato diretamente com o usuário – mesmo que ele não abra o email, ainda está sendo impactado pela sua mensagem. O email marketing ainda permite que você segmente as suas mensagens e tenha resultados ainda melhores.

Por mais tentador que seja comprar uma lista pronta, evite fazer isso. As listas prontas geralmente contém muitos emails inativos, que podem prejudicar a reputação dos seus envios e fazer com que suas mensagens parem na caixa de SPAM. Além disso, enviar emails para usuários que não têm interesse na sua marca ou nos seus produtos apenas fará com que você desperdice recursos.

Posicione caixas de inscrição junto ao seu conteúdo para que os usuários recebam artigos interessantes na caixa de entrada. Também é muito eficaz oferecer recompensas para os usuários que se inscreverem na sua lista, como descontos, acesso prioritário a promoções e frete grátis. Pense nos benefícios que pode oferecer, e mãos à obra!

Aqui não existe receita de bolo. Você deve fazer testes e ver como a sua audiência responde a diferentes frequências de envios – algumas empresas se dão bem com emails mensais, enquanto outros segmentos enviam emails diários com bons resultados. O ideal é enviar em uma frequência que não irrite (e não espante) os assinantes da sua lista.

O Marketing de Conteúdo é uma tendência relativamente recente que inverte a lógica do marketing tradicional. Ao invés de falar da empresa e de seus produtos ou serviços, o Marketing de Conteúdo foca nas necessidades dos consumidores, e oferece respostas e soluções para os seus problemas. Dessa maneira, as empresas criam relacionamentos longos e duradouros com os clientes, que as reconhecem como autoridades. A confiança proveniente desse relacionamento faz com que os consumidores procurem essas marcas na hora de fazer uma compra.

O marketing integrado é o processo de organizar seus diferentes canais para trabalhar em conjunto para promover seus produtos ou serviços, normalmente por meio de uma campanha estratégica. O marketing integrado também funciona para alinhar a mensagem principal da marca que está sendo entregue por meio de seus canais e ativos de marketing.

O principal objetivo da maioria das campanhas integradas é converter leads em clientes.

Cada setor é diferente e as campanhas integradas também podem incluir uma estratégia de vendas. Uma campanha integrada pode ser mais bem-sucedida do que utilizar apenas um único canal de publicidade para um público limitado.

Não é ferramenta nova. Ela está sendo cada vez mais utilizada e já existe há muito tempo. O que é novo é a forma de experimentação e compreensão para saber que o grau de resíduo de experiência das pessoas é maior do que elas leem ou escutam. Como ferramenta de comunicação é preciso reter esta informação. O conceito é velho, mas ganhou corpo com nas diversas ações promocionais, e é preciso ser diferente para mostrar esta experiência. Está sendo usada cada vez mais. Usamos em todo o tipo de produto ou serviços, sem distinção. Portanto, basicamente, o marketing de experiência é utilizar a emoção dos clientes para conquistar, engajar e fidelizá-los.

Depende para quem, para cada consumidor existem um objetivo claro: venda efetiva, ou, uma simples promoção de marca institucional. Depende do que cada marca almeja. Vale para qualquer tipo de objetivo. Seja ação de venda para incremento ou posicionamento da marca. A experiência e muito bem vinda para o consumidor. A relevância é sempre muita alta. Se for muito bom o consumidor responde de imediato, se for ruim, também.

Depende muito de cada promoção, mas sempre tem que vir alinhada como a marca. Para a tecnológica, deve ser voltada para isso, por exemplo. É sempre um grande desafio. Cada cliente tem um objetivo com a sua ação ela não é única. Mesmo sendo de segmento idêntico, a expectativa é formula de lidar. Isso é o legal da coisa. Se existisse seria muito mecânica. É isso que faz as ações, as experiências serem diferente a cada vez.

Também conhecido como marketing de experiência, ele acontece por meio da interação direta entre marca e consumidores, visando garantir um maior engajamento do público. Para alcançar esse objetivo são utilizadas experiências sensoriais e interativas. 

Com esse engajamento, as empresas pretendem gerar uma conexão maior entre o consumidor e a marca. Um cliente com tal vínculo emocional torna-se fiel e tende a ser um propagador da marca a partir de suas próprias experiências, trazendo assim nova clientela de forma orgânica, o que gera um aumento em suas vendas. 

O marketing promocional permite utilizar a mesma campanha em diferentes plataformas, o que oferece uma redução de custos. Quando bem planejada, a ação promove uma melhoria na imagem da marca e no seu relacionamento com o consumidor. Ele sente-se intimamente vinculado à marca, pois ela fez parte de um momento especial em sua vida, e isso tem um peso em suas decisões de compra futuras. Como resultado, ocorre aumento na popularidade e vendas do produto. 

Suas ações geram resultados globais, pois um consumidor satisfeito compartilha sua experiência com os amigos, gerando assim ainda mais engajamento e trazendo novos clientes. 

O futuro do live marketing é cada vez mais promissor. As empresas não querem mais gerar apenas cliques em seus anúncios: elas necessitam que seus clientes sejam verdadeiramente engajados com a marca. Os consumidores querem experimentar e não ter apenas a opção de comprar o que lhes é oferecido. 

Com isso, as campanhas tendem a evoluir a outro nível. As experiências ao vivo deverão ser associadas à realidade virtual e inteligência artificial. O reconhecimento facial permitirá que o cliente já seja identificado ao entrar na loja. Chatbots serão cada vez mais personalizados para oferecer a melhor experiência ao consumidor. 

As empresas que desejem acompanhar essa mudança do público e consequentemente do mercado devem investir no live marketing desde já, para não se tornarem obsoletas e nem serem evitadas pelo consumidor. 

Abrir chat
Precisando de ajuda?